Na semana de fechar o empréstimo dos salários atrasados, Panta viaja para a Argentina; projeto foi publicado com emenda, mas o servidor precisa ficar esperto

16:37 Manno Costa 2 Comments


Resultado de imagem para tango argentino

“Que Santa Rita de Cássia possa nos abençoar e consigamos pagar ainda no mês abril todos os salários dos servidores que estão em atraso, e isso nós iremos fazer”.

Ouça:


Foi com esta frase que o prefeito de Santa Rita, Emerson Panta, deu início a uma epopeia que nem ele mesmo fazia ideia de onde terminaria. Ou se terminaria.

Todos sabemos e somos cientes, que a problemática dos salários atrasados nasce em 2016, depois da grave crise financeira em que o município se afundou, causando toda sorte de prejuízos ao servidor.

As razões pelas quais tudo isso se deu foram amplamente propaladas e justificadas pelo ex-prefeito Netinho. Se as justificativas foram satisfatórias, cada um faça o seu julgamento.

Fato é que Emerson foi eleito com a esmagadora maioria dos votos válidos no pleito de 2016 para dar solução a este e aos mais diversos problemas por que passa a cidade.

Sim. Passa.

Eu pessoalmente dei o meu voto de confiança certo de que o novo prefeito daria jeito a problemas que a gestão em que eu acreditei como ideal não conseguira e, portanto, fazia com que a cidade necessitasse de um renovo de ares e de esperança.

O pecado de Panta foi mentir para os já ressabiados e sofridos servidor e população.

Quando Panta anunciou, no dia 19 de março deste ano, sob a égide da figura de Santa Rita de Cássia, em nome da qual prometera pagar os salários atrasados de TODOS os servidores municipais até o final do mês de abril e não cumpriu, chamou pra si a responsabilidade pelo não pagamento a partir da data que anunciou e não cumpriu.

A partir disso, começaram a correr prazos não cumpridos que foram postos em sua conta.

Dias depois desse epopeico anúncio, começa a  novela.

Panta volta atrás e escalona os pagamentos. Dividiu por categorias.

Educação permaneceu em abril. Deixando as demais para maio e junho.

O prefeito nunca disse de onde tiraria o dinheiro para quitar esses salários.

Descobrimos que Panta tinha por intuito usar o dinheiro da diferença do Fundef, que pertence ao próprio servidor, para pagar a este mesmo servidor uma dívida que pertence à edilidade.

Panta anunciou no dia 09 de março, em um vídeo feito no terraço da sede do Banco do Brasil, em Brasília, vídeo através do qual o fizeram acreditar ser um pop star da internet com cem mil views, quando ele também não cumpriu.

Depois de vários anúncios e promessas vazias, Panta se cansou dos vexames e repassou à Câmara Municipal uma responsabilidade que era sua, e o parlamento não só resolveu o problema como devolveu o projeto aprovado com uma emenda que protege o direito dos servidores, alterando a redação do Artigo 3º, assegurando a obediência ao acordo firmado entre o Sindicato dos Servidores (Sinfesa) e a PMSR onde reconhece o direito dos professores que sofreram as perdas do Fundef entre os anos de 2003 e 2006, destinando 60% do valor do repasse ao Magistério do quadro na época e os outros 40% para pagamentos a critério do governo municipal, como seguem as imagens abaixo.

                          Projeto original                                                        Emenda


      

O PL 038 e sua emenda foram transformados na Lei Municipal 1.778/2017, publicada no Diário Oficial n.º 632, de 05 de maio de 2017.




O acordo firmado no autos do processo n.º 0000073-53.2008.4.05.8200, da 1ª Vara da Seção Judiciária da Paraíba.




Segundo o prefeito, após aprovada e publicada a lei, em mais vinte dias tudo estaria resolvido.

Suas últimas datas prometidas foram os dias 20 e 30 de maio.

Mas Panta repassou o governo na última quinta-feira (11), fez as malas, pegou um avião para a Argentina e, desde então, temos oficialmente o vice-prefeito Carimbó como prefeito de Santa Rita.

Panta tem negócios no país, e precisou se ausentar para cuidar deles.

Diante das circunstâncias, duas situações precisam ser levadas em consideração:

O servidor ficar atento e vigilante na rota que esse dinheiro, desde que aprovado, vai fazer até as contas de quem realmente deve.

Uma fiscalização séria, forte e comprometida precisa ser feita.

Informações dão conta de que persiste a iminência de um grande calote com relação aos repasses da diferença do Fundef a quem de direito.

O montante corrigido chega a mais de R$ 35 milhões, fica evidente que o dinheiro dá para cumprir com todas as obrigações, mas Panta ainda insiste em não cumprir com o acordo.

O servidor precisa ficar esperto para não ser passado pra trás.

Ou Panta começa a governar e chama o servidor pra junto, pra ser parte da gestão, valorizando sem usurpar direitos ou perseguir funcionário ou já sabemos o final da história quando o funcionalismo se vê à margem.

Panta poderia ter ido cuidar dos seus negócios qualquer outra hora do ano.

Santa Rita precisa de um prefeito presente, com atitude e vontade política e administrativa para fazer, enfim, a cidade sair da estagnação que ele encontrou e que ainda não começou a tirar.

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Só um adendo: vídeos supervisualizados graças à opção "impulsionar publicação", existente no facebook, que é paga, e Panta mais do que ninguém usa há tempos.

    ResponderExcluir