Panta já pode pedir música: em apenas uma tarde, MP, CRM, CRO e Coren interditam três unidades de saúde, e o prefeito médico de Santa Rita debuta no mundo dos mortais

16:08 Manno Costa 2 Comments



Era pra ser uma tarde de visita técnica para a liberação do novo prédio do novo Centro de Saúde Barão do Abiahy, em Várzea Nova, reformado pelo ex-prefeito Netinho, em 2016.

A pedido da Secretária de Saúde de Santa Rita, Maria do Desterra Diniz Catão, a promotora da Saúde do Ministério Público Estadual na cidade, Ana Maria França, chamou, como de praxe, os representantes dos conselhos regulamentadores e fiscalizadores classistas, os principais, CRM, CRO E COREN.

Na visita feita ao novo ‘Barão’ ficou constatado que detalhes simples o separam da reabertura.

Duas constatações que precisam ser corrigidas: primeiro, uma infiltração, onde provavelmente não pegou o impermeabilizante. Uma olhada na planilha de custos da obra e se for constatado que constava no plano, a empresa responsável faz o reparo sem maiores problemas. Se não, coisa barata, a gestão não teria dificuldades para fazê-lo.

Segundo, a falta de climatização do local, que ainda não foi feita. A mesma empresa que foi contratada e que climatizou o Padre Malagrida, no Tibiri 2, também foi para prestar o serviço no Barão. Agora é só saber quais as condições do contrato e tomar as providências.

Feito isso, a promotora Ana Maria volta a chamar os conselhos, faz nova visita e, estando tudo certo, Várzea Nova ganha seu tão sonhado novo centro de saúde.

Após se despedirem e deixarem tudo encaminhado, a comitiva sai do interior do prédio em direção à área externa para entrar nos seus carros e ir embora, quando veem de longe um grupo de mulheres gestantes e seus filhos esperando para tomar sua vacina. Estamos na semana de vacinação contra a gripe.

Até que a promotora resolveu convidar os representantes dos conselhos para olharem do que se tratava, foi quando tudo deu errado.

Por estarem interditados em seus locais originais desde 2015 e, portanto, terem sido transferidos para algumas salas anexas ao prédio principal do Barão do Abiahy, alguns PSF’s funcionam, mesmo que precariamente, naquele lugar.

O local é um complexo de salas, onde vários setores são abrigados e onde algumas unidades funcionam provisoriamente, até que seus prédios sejam completamente liberados de suas interdições e finalmente reabertos à população de suas comunidades.

Diante do quadro de caos encontrado pelo Ministério Público e pelos conselhos, não houve outra decisão a ser tomada que não fosse a de interditar o lugar, que possui médicos, enfermeiros, técnicos, dentre outros profissionais de Saúde.

Insalubridade, más acomodações, falta de estrutura, risco de infecções, além de ser completamente inapropriado para o exercício de suas atividades.

Foram interditadas a USF Várzea Nova 3 e USF Barão 1, que já funcionavam ali por estarem interditadas no seu local de origem, ou seja, receberam sua segunda interdição, além do próprio Centro de Saúde Barão do Abiahy, que estava funcionando no lugar em virtude da reforma do prédio principal, que acabara de ser vistoriado, que é a unidade de referência do bairro, onde se atendem as especialidades, como Clínica Geral, Pediatria, entre outras.

Além das suas unidades de saúde e o Centro de Saúde, também foi interditado o setor de vacinação, que estava aberto de forma precária.

Em apenas uma tarde, a gestão de Emerson Panta debutou nas interdições com três unidades de saúde e um posto de vacinação.

Mas há mais. Denúncias dão conta de que a unidade de saúde de Tibiri Fábrica, aberta com toda pompa e circunstância pelo atual prefeito, ao lado da sua secretária, não passa de engodo.

A Unidade de Saúde da Família Maria de Lourdes Alves de Assis, também reformada em 2016, foi reaberta, mas os consultórios médico e odontológico permanecem interditados, ou seja, está aberto, mas não funciona.


Assim, da mesma forma, as unidades de saúde Farmacêutico Antônio Azevedo, no Centro, e Celeste Ribeiro, no Castanheiro, do mesmo modo reformadas na gestão passada, também foram reabertas, mas seguem com seus consultórios interditados.


Panta, ao forçar uma cena, midiatizando a inauguração de unidades de saúde a toque de caixa, sem a autorização do MP e dos conselhos fiscalizadores, quer mostrar uma autoridade que não possui, a de abrir posto de saúde com sua graça e simpatia, sem qualquer respaldo ou autorização para tal, fazendo uma pegadinha semântica com a população: aberto é funcionando?

Panta ligou o prometômetro no modo “ultimante”, fez graça com a cara e com a esperança do povo, prometeu fazer o que sabia que não podia, como reabrir e funcionar os 19 PSF’s que entraram 2017 fechados ainda no primeiro mês de gestão, além da lenda urbana que se tornou uma clínica de hemodiálise que estaria aberta e funcionando até o final de março, tudo fruto do imaginário do prefeito, que parece brincar com as pessoas.

Na próxima vez que você ouvir do prefeito que ele vai abrir um PSF, pergunte rápido: vai abrir. Mas vai funcionar, doutor?

2 comentários:

  1. Meu Deus, pobre Santa Rita desgovernada por este médico da Argentina. Nam! Quando sairemos deste caos?

    ResponderExcluir
  2. Crítica bem sensata. Não conhecia o blog.

    ResponderExcluir