Afinal, o que Uedson Orelha está esperando?

02:36 Manno Costa 1 Comments


Um fato tem chamado atenção (dentre tantos) na Câmara Municipal de Bayeux.

Presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Casa, o vereador Uedson Orelha, do PSL e partidário de Nôquinha, atual prefeito, recebeu a PEC 08, de autoria da vereadora Luciene de Fofinho, desde a  última terça-feira (27).

Além de correligionário do prefeito, Orelha também tem a sua irmã, Renata Silva, exercendo o cargo de Secretária Adjunta de Educação da atual gestão.

A PEC visa modificar o Artigo 8º da Lei Orgânica do município, prevendo a instituição de eleição direta, em caso de vacância no Poder Executivo local. Atualmente, o artigo prevê apenas eleição indireta e é considerado sob quase à unanimidade jurídica como um dispositivo inconstitucional.

Segundo Luciene, a iniciativa tem como objetivo demandar ao povo bayeuxense a responsabilidade de escolher seu novo gestor, ante a atual circunstância, que deixa nas mãos dos vereadores a eleição, segundo sua escolha.

Relator da CCJ, o vereador Lico já emitiu parecer pela constitucionalidade da matéria e defende que a PEC vá a plenário para ser votada, dando celeridade ao processo de tramitação, sem atropelar os prazos.

Na contramão do bom senso, o presidente da comissão, Uedson Orelha, por sua vez, engavetou o projeto e não prevê data para que vá a plenário, sem qualquer justificativa.

Diante do atual situação, fica o questionamento: por qual motivo, Uedson não dá seguimento ao processo e permite que ele vá a plenário para ser apreciado, discutido e votado, como manda o Regimento Interno??

O prazo está acabando, o ano está chegando ao fim, e a população de Bayeux tem pressa por respostas de sua classe política, haja vista ao caos administrativo por que a cidade passa nas mãos de Noca.

A população promete cobrar fortemente do vereador Orelha uma posição. E a pressão popular só tende a aumentar nas galerias do parlamento da cidade francesa nos próximos dias.

Um comentário:

  1. No mínimo ele deseja com esta iniciativa contra a vontade popular, barganhas mais cargos para a família!

    ResponderExcluir